2 de março de 2016

DIÁRIO DE CIRURGIA #01 | Do antes aos primeiros dias depois...

Hey pessoinhas queridas! Fiquei longe por um mês, mas não aguentei...tô de volta! E lá vem textão com tudo o que houve nos últimos tempos, juntando fatos que relatei em meu perfil no snapchat (sigam-me os bons: jujubau2) e no perfil do blog no instagram nos chamados "diários" que estão disponíveis lá com fatos inéditos pois textão no instagram cansa e eu sei que quase ninguém lê direito. rs

Como quem acessa este blog sabem, no dia 27 de janeiro realizei um grande sonho: fiz a cirurgia de redução de seios - mamoplastia redutora - por motivos de saúde (pois a minha coluna já estava pedindo socorro por causa do peso e tinha vários nódulos nas duas mamas) e também por estética, pois é muito difícil achar um sutiã bonito e resistente quando você usa o número 52 - sim, cheguei a esse ponto.

Só que, pra poder fazer essa cirurgia, eu tive uma preparação durante um ano: do ano passado pra cá, eu precisava emagrecer pelo menos 10 kg para poder operar. Emagreci 14 kg com reeducação alimentar (que não é regime!) e fazendo exercícios - como patinação, dança e caminhada, passando bem longe das academias.

Com a liberação pra fazer a cirurgia, fiz todos os exames pré-operatórios pedidos pelos três médicos - o cirurgião plástico, a mastologista com quem faço tratamento por causa dos nódulos e a cardiologista. Tudo OK e liberações obtidas, marquei a cirurgia para 27 de janeiro de 2016. Isso foi no início de dezembro de 2015. O mais complicado desse período foi controlar a ansiedade e me policiar para não ficar doente - pois um resfriado de nada pode adiar a cirurgia e isto estava fora de cogitação pra mim. Essa era a ÚLTIMA COISA que eu queria no momento. Quando o grande dia chegou - aliás, um dia antes, pois eu internei na madrugada de 26 pra 27 de janeiro - por incrível que pareça, foi o dia em que fiquei mais tranquila (tirando o fato que a mala que fiz com as coisas que levei pro hospital estava pronta fazia 02 dias antes de me internar).


Após passar com o anestesista (tomei anestesia geral...ufa! rs) e devidamente instalada no quarto do hospital, tentei relaxar um pouco - o que era difícil pois fazia um calor de lascar no dia - pois a cirurgia ia acontecer às 7h da manhã do dia 27. Eu já fui pro hospital com o cabelo devidamente lavado (pois eu não sabia quando eu ia poder lavar de novo) e às 6:30h da manhã foram me buscar pra levar ao centro cirúrgico. Entre as coisas que levei comigo, subi pra cirurgia com a meia anti-trombo e o sutiã cirúrgico. O médico que me operou, o dr. Geraldo Scozzafave, chegou lá e fez toda a marcação nos meus seios. Logo após, veio a equipe e me preparou pra anestesia e os últimos detalhes antes de começar a cirurgia. Depois disso, eu não lembro de mais nada.

Juliana está APAGADA e sendo OPERADA...

Acordei na sala de recuperação com muita dor, tanto que me deram morfina. Estava completamente grogue por causa da anestesia, sem conseguir raciocinar direito, mas lembro de perguntar "que horas são" ao enfermeiro e ouvir a tempestade do lado de fora. Eram 14:40h. Nem me toquei que estava há tanto tempo lá na área de cirurgias do hospital. Puft! Apaguei de novo.

Acordei de novo, na sala de recuperação, e nada de me levarem pro quarto. O que será que houve? Mas tava me sentindo tão estranha que nem sei se perguntei algo ou não. Mas a dor tinha passado, mas uma vontade doida de ir no banheiro. Soube que ia ficar 24h deitada direto e que estava com uma sonda para urinar. Olho para meus pés e vejo que estão entreabertos e um caninho saindo pra fora perto deles...



Foi um alivio ir pro quarto e ver meus pais. Estava cheia de dor, mas o "pior" tinha passado. Comi, dormi, acordei, perdi a conta de quantas enfermeiras entraram e saíram daquele quarto pra dar remédio. Minha mãe dormiu comigo - quer dizer, nós tentamos dormir, mas quem dorme de fato em um hospital? - e, no dia seguinte, fui pra casa.

Levantar da cama do hospital depois de 24 horas deitada direto deu tontura e fraqueza. Pediram uma cadeira de rodas pra me levar ao carro, mas o menino demorou pra aparecer.  Eu estava internada no primeiro andar do hospital e - depois que desisti de esperar a cadeira e fui embora agarrada no braço da minha mãe - vi que tinha muitas pessoas que estavam na área do hospital dia, que era no mesmo andar, e iam descer um lance de escada esperando elevador. WTF???

O menino da cadeira de rodas apareceu e ainda brincou comigo dizendo que eu tava fugindo. Eu, com a maior vontade de sair dali e ir pra casa, fui direta com ele: "só saí do quarto porque você demorou pra chegar". Olhei pra minha mãe e não sabia se ela ia rir ou me dar uma bronca pela resposta seca. Só sentei na cadeira e desci, rumo ao carro, rumo à minha casa.

Mi Casa, SOLO MI CASA!

Os primeiros dias em casa, após a cirurgia, foram bem complicados. Muita dor, remédios pra tomar (no meu caso: antibiótico, anti-inflamatório e remédio anti-trombose), sem poder mexer os braços direito - no maior estilo do dinossauro Horácio da Turma da Mônica, 100% dependente - a ponto de pedir pra minha mãe pegar um copo pra mim no armário pra poder tomar água pois não podia levantar o braço, no maior calorão e pior...sem tomar banho da cintura pra cima! E sem lavar o cabelo!

Mas como dizem por aí, "mãe de publicitária, criativa também é" e essa questão foi logo resolvida: paninho úmido com shampoo Johnson da cintura pra cima, sabonete da cintura pra baixo e várias cadeiras juntas, eu devidamente deitada e coberta com só a cabeça pra dentro do box e um balde pra poder lavar o cabelo, dia sim e dia não. Mãe, você me salvou <3

Quando você não pode se mexer demais e nem fazer nada sozinha, o dia parece que demora pra passar, de verdade. E o pior, no meu caso, é que eu não conseguia ficar muito tempo sentada (aliás, não ficava muito tempo em nenhuma posição porque não dava, mas sentada era bem pior) e tinha que ficar revezando entre deitada e de pé por causa das cicatrizes.

O que me motivou muito e me tirou do marasmo foi o carinho da família, dos amigos, do meu amor. Nesse período de 03 semanas (entre o que estou escrevendo este post e a publicação do mesmo), já fui ao médico semanalmente ver como está a cicatrização...e está tudo maravilhosamente bem! Só um pontinho ainda não cicatrizou completamente, soltando um pouco de seroma - uma secreção normal desse tipo de cirurgia. Estou hidratando bem as cicatrizes com um creme hidratante próprio chamado Umiditá e colocando a gaze pra proteger, além do sutiã cirúrgico, é claro!

No próximo diário, conto sobre como estão as coisas ao completar 01 mês de cirurgia. Se alguém tiver alguma dúvida sobre a cirurgia ou os procedimentos pós operatórios, podem deixar aqui nos comentários e/ou nas minhas redes sociais. Espero que gostem do post, apesar do textão. rsrsrsrsrs See ya ;****

2 comentários:

  1. Ju!! Adorei o texto!! O resultado vai ficar ótimo!! Bjos
    Carla Mergel ;-)

    ResponderExcluir
  2. ola! me chamo Larissa, fiz um orçamento de abdominoplastia e protese de mama com Dr geraldo, mas nao tenho ninguen conhecido que tenha feito com ele. Por favor me ajude, me diga como chegou ate ele, se conhece alguem, enfim qualquer informação ajuda meu e-mail : larissasp@hotmail.com MUITO obrigada

    ResponderExcluir

Aqui é a Jujubaluba. Obrigada por visitar meu blog =) Deixa um comentário sobre o que você achou do post.