23 de janeiro de 2016

Eu vi: Ricki and the Flash: De Volta pra Casa


Hoje, em casa, resolvi assistir o filme "Ricki and the Flash: De volta pra casa" com a incrível Meryl Streep, que eu particularmente adoro. É um filme classificado como "comédia (?) dramática" - drama, ok...mas comédia? Tem poucas cenas pra rir - e coloca no ar para todos alguns dilemas como ser o que você é, ir atrás do que gosta ou se dá pra ser feliz abdicando de seus sonhos por um bem maior, entre outros. E quais podem ser as consequências que seus atos podem trazer não apenas à sua vida, mas à vida de todos que te cercam.

Ricki Rendazzo (Meryl Streep) e sua banda The Flash se apresentam em um bar na cidade Tarzana, Los Angeles, Califórnia. Um dia, o seu ex-marido Pete (Kevin Kline) a telefona para lhe contar que a filha deles, Julie (Mamie Gummer, que é realmente filha da Meryl Streep), foi abandonada pelo marido e este pediu o divórcio. Pete pede a ela venha visitar a filha em Indianopolis para, juntos, a ajudarem com a depressão que está tendo. O problema era que Ricki não visitava a filha e os filhos, Josh (Sebastian Stan) e Adam (Nick Westrate), há muito tempo. Ela deixou sua família em segundo plano para se dedicar a sua carreira – que não foi lá muito promissora. Agora, teria que lidar com as consequências desta escolha.

O roteiro do filme é de Diablo Cody (que ganhou o Oscar por Juno) e a história tem muitos aspectos que as pessoas podem se identificar, por terem realmente vivido. Uma das questões mais apontadas no roteiro do filme é o “colocar de lado”. Seja por de lado sua família por um sonho, seja por de lado sua esposa por uma nova paixão, seja por de lado seus problemas para ajudar aqueles que ama os quais estão com mais problemas do que você. Além de claro, a incrível direção de Jonathan Demme (O Silêncio dos Inocentes) e a seleção musical que a personagem de Streep canta - começa com Taylor Swift, tem a versão de Bad Romance de Lady Gaga, Bruce Springsteen e até U2! Imaginem a minha cara ao ver e ouvir a Meryl Streep cantando "I Still Haven't Found What I'm Looking For"??? Além de mostrar que nem todas as pessoas são o que aparentam ser - a rockeira Ricki parece ser bem liberal, mas é homofóbica, racista e fã de George W. Bush. Pete, seu ex-marido, tem a aparência um riquinho conservador, mas esconde grande quantidade de maconha no congelador. Os filhos aparentam ser produtos típicos do american way of life, mas um deles é gay, e o outro leva uma vida hipster de veganismo e anticapitalismo.

É um filme que recomendo assistir. E se assistirem, coloquem o que vocês acharam nos comentários do post, ok?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui é a Jujubaluba. Obrigada por visitar meu blog =) Deixa um comentário sobre o que você achou do post.