4 de dezembro de 2015

Resenha: Hiroshima (John Hersey)

Sabe aquele livro que você lê por "mera obrigação" (no meu caso, por causa da faculdade) e se depara com um dos livros mais incríveis que você já leu? Foi assim que me surpreendi com este livro da imagem ao lado, "Hiroshima" do autor e jornalista americano John Hersey.

OBSERVAÇÃO: Esta resenha contém SPOILERS. Caso você não leu o livro e tem curiosidade de ler, aviso para não ler este post antes de sua leitura.

06 de agosto de 1945, às 08:15 da manhã. Um dia e hora que mudou o curso da história do Japão (e do mundo) quando foi lançada a bomba atômica na cidade de Hiroshima.

O relato de seis pessoas que conseguiram sobreviver à essa tragédia ao jornalista americano John Hersey deu origem ao livro "Hiroshima" que, a princípio, foi lançada na revista "The New Yorker" em uma edição especial publicada em agosto de 1946.

Todos os detalhes que estes seus sobreviventes contam começa a partir de momentos que antecederam a explosão que arrasou a cidade. A história narra com detalhes o que cada um deles fazia até o momento em que viram o grande clarão. Além de contar os fatos, o autor relata e desenvolve também os pensamentos, sentimentos e emoções das personagens e contextualiza a vida de cada um e a razão pela qual estavam em determinado local quando a bomba explodiu, além da distância em que cada um deles se encontrava do centro da explosão. Em um segundo momento, relata o pânico na cidade. A população ensanguentada, prédios em ruínas e o povo se alastrando por toda a parte. Famílias à procura de entes queridos e os menos feridos ajudando quem estava em condições piores. Tinha quem procurava um local seguro e quem procurava o local mais próximo, porém todos estavam em ruínas.

Nas margens do rio Kyo, o padre jesuíta alemão Kleinsorge tenta manter a ordem no caos enquanto o reverendo Tanimoto procura salvar o máximo de pessoas possível. A sra. Nakamura e seus filhos adoecem ao beber a água contaminada do rio. Já a srta. Toshiko Sasaki é recolhida dos escombros da empresa onde trabalha com uma fratura exposta na perna esquerda. O dr.Masakazu Fujii também sofreu fraturas pelo corpo e se viu incapaz de diagnosticar pela falta de equipamentos. Sua clínica, que ficava nas margens do Rio Kyo, sucumbiu no momento da explosão, o jogando para a água e, preso aos escombros, quase se afogou.

Enquanto isso, o dr. Terufumi Sasaki cuidava dos feridos que estavam no hospital quando o recinto foi invadido por muitos outros feridos. Dias após a tragédia e após muito trabalho no resgate de feridos por poucos médicos enfermeiras que sobreviveram, as vítimas sofrem com as consequências silenciosas da bomba: a intoxicação por radiação, que levou milhares de pessoas à morte nas semanas que seguiram o ataque e deixaram sequelas em outras milhares.

Aos poucos, a cidade foi sendo reconstruída mas, um ano após o fato, a vida dos seis personagens relatados no livro estavam abaladas e suas saúdes fragilizadas.

No capítulo final, escrito quarenta anos depois, Hersey conta como foi a vida dessas pessoas e de que forma a bomba atômica impactou suas vidas para além do momento da explosão. Não é à toa que Hiroshima é considerada uma das reportagens mais importantes do século XX: ela é um retrato fiel da face mais aterrorizante da segunda guerra mundial e, a forma que cada passo dos personagens foi contextualizada reflete o estilo único do autor. Uma leitura importante e obrigatória para todos da área de comunicação, especialmente para os jornalistas e futuros jornalistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui é a Jujubaluba. Obrigada por visitar meu blog =) Deixa um comentário sobre o que você achou do post.